www.cnm.org.br |

(61) 2101-6000

quinta, 08 de novembro de 2018

Autoridades se reúnem em Montevidéu para discutir temas de interesse dos Municípios de fronteira

MercosulLocalizados na divisa com países vizinhos, os Municípios de fronteira têm características e demandas específicas. Consciente das particularidades e da importância de defender os interesses dos gestores e da população, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) tem uma pauta internacional. Na reunião do Subgrupo de Trabalho nº 18 – Integração Fronteiriça do Mercosul, realizada em Montevidéu na terça-feira, 6 de novembro, a CNM aproveitou para reforçar as demandas já apresentadas à diretoria do Congresso de Intendentes do Uruguai, por ocasião na XII Cumbre da Federação Latino-americana de Cidades, Municípios e Associações de Governos Locais (Flacma), em agosto deste ano.

O encontro, a convite do Ministério das Relações Exteriores, ocorreu no edifício do Mercosul e contou com a participação da delegação uruguaia, paraguaia e brasileira, formada pelo conselheiro da Divisão da Argentina e do Uruguai, Eduardo Pereira e Ferreira, do Subdiretor Geral da Direção Geral da Área de Assuntos de Fronteira, Javier Vidal Alaggia e do diretor executivo da Polícia Rodoviária Federal, Martin Gomes. Representando a CNM e as cidades gêmeas, estava o consultor de Relações Internacionais Zulmir Rasch.

Mercosul Para os Entes municipais, é importante que autoridades e governo das nações fronteiriças mantenham o diálogo e a troca de experiências para, via aprofundamento dos processos de integração, possibilitar a prestação de alguns serviços por parte das administrações locais binacionais e, desta forma, ampliar direitos da população. Rasch levou as principais demandas: ampliação dos termos do Acordo de permissão de residência, estudos e trabalho a nacionais fronteiriços brasileiros e uruguaios que residam nos territórios da linha internacional de fronteira, através de um Ajuste Complementar; estabelecimento de consórcios públicos binacionais e transnacionais (tríplices fronteiras); permissão de serviços de transporte público integrado entre as cidades gêmeas; promoção de um Plano Urbano de Desenvolvimento Integrado; e a reativação da Comissão Binacional Assessora de Temas de Saúde na fronteira (CBAS) Brasil – Uruguai.

Exemplos de Municípios beneficiados diretamente com as medidas são Herval, Pedras Altas, Bagé e Dom Pedrito, no Rio Grande do Sul, e Treinta e Tres, Rocha e Cerro Largo no Uruguai; a Confederação também propõe, a fim de dar segurança jurídica às ações, o encaminhamento às autoridades do Ministério das Relações Exteriores do Brasil e do Uruguai da proposta de um projeto de lei, por meio do qual seria criado um Estatuto Jurídico de Fronteira para as localidades fronteiriças vinculadas, com vista à para promoção conjunta de desenvolvimento econômico, social, científico, tecnológico e cultural das populações. Esse Estatuto buscaria a consecução do fortalecimento do processo de integração e cooperação entre o Brasil e o Uruguai, por meio da eliminação de obstáculos e barreiras à interação das comunidades tendo por base critérios de reciprocidade.

Foto: Secretaria do Mercosul
Da Agência CNM de Notícias